Como realizar e otimizar a gestão de tempo para médicos?

Realizar-e-Otimizar-a-gestão-de-tempo-para-médicos
As possibilidades de atuação dentro da medicina estão em constante expansão, e é cada vez mais comum que um profissional se dedique a mais de uma atividade além da rotina de atendimento e cirurgias. Ensino superior, cursos de atualização para profissionais formados, pesquisa científica, divulgação médica para leigos; estes são alguns exemplos dos caminhos profissionais que muitos optam por seguir, na maior parte das vezes de forma paralela a sua prática ambulatorial.

Como fazer a gestão de tempo para médicos?

Uma má gestão de tempo leva a perda de produtividade, ineficiência em cumprir prazos e a menor conhecimento técnico; estes por sua vez podem resultar em pior ganho financeiro, menos reconhecimento profissional e satisfação dos pacientes e, finalmente, a insatisfação profissional como um todo.
São diversos os fatores que nos últimos anos contribuíram para tornar a rotina de um médico mais atarefada. Além da incorporação de novas atividades e responsabilidades, como as citadas anteriormente, há ainda a necessidade diária de manter-se atualizado e aperfeiçoar suas habilidades, participar de congressos e discussões ao longo do ano, lidar com as demandas dos pacientes e manejar casos de complexidade cada vez mais elevada, tudo graças aos avanços diários da ciência e tecnologia. Soma-se a isso a dificuldade de estarmos conectados ao mundo virtual 24h por dia, seja pelo email, redes sociais ou aplicativos de mensagens.
Uma revisão da literatura médica a respeito de gestão de tempo compilou 4 técnicas que podem auxiliar nesse desafio. São elas: definir objetivos de curto e longo prazo, definir prioridades, planejar e organizar atividades e minimizar “gastadores de tempo”.

Objetivos

Objetivos de curto prazo são aqueles que esperamos conquistar em até 3 anos; os de longo, em até 10 anos.
Definir quais são os seus objetivos é importante primeiramente para que se possa analisar se suas tarefas e demandas são condizentes com o que você está tentando conquistar. De tempos em tempos é interessante rever esses objetivos de forma realista, para que não haja ilusão sobre as possibilidades de crescimento na profissão mas também não ocorra estagnação por falta de um plano de carreira. É importante lembrar que objetivos de longo prazo muitas vezes devem ser subdivididos em vários de curto prazo, porém sem perder o foco do resultado final. Com tudo isto em mente os passos seguintes serão mais proveitosos, já que saberemos exatamente onde queremos chegar no futuro.

Primeiro o mais importante

Um livro amplamente citado quando o assunto é definição de prioridades é o clássico da literatura não-ficcional “Primeiro o mais importante”, do autor estadunidense Stephen Covey. Sua matriz de gestão de tempo clássica foi adaptada para a realidade médica na revisão supracitada e é dividida da seguinte maneira: uma tabela 2×2 em que cada atividade deve se encaixar em um quadrante seguindo a lógica de ser urgente ou menos urgente e importante ou menos importante. As atividades que serão mais benéficas para a carreira médica em geral encontram-se na coluna de importante, porém as que costumam receber prioridade no dia a dia são as urgentes, incluindo as menos importantes. É verdade que estas últimas devem ser priorizadas a primeira vista devido a prazos que irão expirar e necessidade de resolução, porém a longo prazo não serão tão oportunas.
Para evitarmos a frustração de sempre estarmos resolvendo questões urgentes, o ideal é que durante a semana seja sempre reservado um tempo para lidar com as questões importantes porém menos urgentes, de forma que estas sejam resolvidas antes de tornarem-se urgentes. O manejo desta tabela na vida real não é tão simples quanto na teoria, mas a sinceridade consigo mesmo ao dividir as tarefas nos seus respectivos quadrantes nos dá uma visão mais clara de como devemos gerir o tempo para cada uma delas.

Planeje e organize

O terceiro aspecto a ser aprimorado é o planejamento e organização de atividades. A primeira coisa a se fazer é definir de forma realista quanto tempo determinada tarefa exigirá para ser finalizada. A partir disso é mais eficiente fazer um planejamento semanal ou até mesmo mensal, definindo que tarefas mais longas serão realizadas em dias mais tranquilos e as mais curtas em pequenos intervalos ao longo dos dias mais sobrecarregados. Um hábito interessante de se criar é sempre olhar a agenda e as tarefas elencadas para o dia seguinte na noite anterior, de forma que o dia comece já com a consciência das atividades a serem cumpridas.
Por último, devemos ativamente minimizar atividades “gastadoras de tempo” quando o objetivo é ser mais produtivo. O celular é hoje um dos maiores fatores consumidores de tempo. Algumas técnicas para minimizar esse impacto incluem: colocar mensagens e notificações no modo silencioso durante trabalho ou estudo, reservar um momento ou dois no dia para responder emails e mensagens (e não interromper sua atividade sempre que chegar uma nova), reservar um tempo específico por dia para redes sociais e outras formas de lazer no celular. Outras atitudes interessantes para minimizar o tempo perdido incluem manter seu escritório e papelada organizados, aproveitar tempo de espera em filas ou no trajeto diário para o trabalho para realizar pequenas tarefas e ser pontual, dessa forma ajudando a derrubar a cultura do atraso.

Conclusão

A sensação de menos tempo disponível é uma epidemia mundial e deve ser encarada de forma assertiva se quisermos nos manter produtivos frente às novas demandas da profissão médica. É preciso maximizar a eficiência da gestão de tempo para que haja satisfação tanto profissional quanto pessoal. Tendo controle do nosso tempo é possível almejar e realizar os objetivos mais ambiciosos, ao invés de apenas vermos as oportunidades sendo desperdiçadas por falta de organização.

Autora: Dra. Caroline Gracia Plena Sol Colacique.

 

Referências:
Recapturing time: a practical approach to time management for physicians. Gordon CE1, Borkan SC. Postgrad Med J. 2014 May;90(1063):267-72. doi: 10.1136/postgradmedj-2013-132012. Epub 2014 Mar 5.

COVEY, Stephen R.; MERRILL, Rebecca R.; MERRILL, A. Roger. Primeiro o Mais Importante: como ter foco em suas prioridades para obter resultados altamente eficazes. Editora Campus, 2003.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn